Arquivo da categoria: Notícias

NOTA ANMR – CAXIAS DO SUL

A Associação Nacional de Médicos Residentes (ANMR), de forma semelhante ao Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio Grande do Sul (CREMERS), endossa seu apoio aos médicos das unidades básicas de saúde da cidade de Caxias do Sul/RS, no que se refere ao direito de greve por parte dos médicos, conforme disposto na Lei 7783/89, art. 6, incluindo a proibição do uso de meios que possam constranger o empregado no comparecimento ao trabalho. Da mesma forma, em concordância com o Código de Ética Médica, apoiamos e lutamos pela busca por condições de trabalho e salário dignos. Julgamos injustificável a exposição midiática do médico que participava do movimento grevista e o uso político dos problemas administrativos em saúde pública, como a transferência aos médicos, por parte das instâncias municipais ou estaduais de gestão em saúde, da culpa pelos atuais e crescentes problemas envolvendo o sistema de saúde em nosso país.

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DO 50º CONGRESSO ANMR E ELEIÇÃO DO NÚCLEO EXECUTIVO

A Associação Nacional de Médicos Residentes (“ANMR”), nos termos do Estatuto Social, convoca o 50º Congresso Nacional da ANMR, para os dias 03 e 04 de dezembro de 2016, no auditório da Associação Médica de Brasília (AMBr), no Setor Habitacional Comércio Sul de Brasília, Trecho 03 – DF, CEP: 70200-003, segundo programação a ser divulgada posteriormente. A ANMR convoca também seus membros filiados para a eleição de seu Núcleo Executivo, no dia 04 de dezembro de 2016, às 9 horas, durante a realização do 50º Congresso Nacional de Médicos Residentes (CNMR), conforme previsão estatutária, nos termos dos artigos 12, 35, 36, 37, 38, 39, 40, 41 e 42.

A ANMR informa que a data para inscrição no processo eleitoral será de 21 de novembro de 2016 até 02 de dezembro de 2016, das 08 às 17h do horário de Brasília, excluídos sábados, domingos e feriados. As inscrições para Chapas à Direção Executiva e inscrição para Delegados Oficiais, conforme o Estatuto da ANMR, devem ser entregues na Rua São Carlos do Pinhal, 324 – Bela Vista – São Paulo – SP – CEP: 01333-903. Para outras informações, o Estatuto da ANMR está registrado no Cartório do Segundo Ofício de Registro de Títulos e Documentos e Pessoas Jurídicas de Brasília/DF, e publicado no site da ANMR na internet: http://www.anmr.org.

NAIARA COSTA BALDERRAMAS
Presidente da Associação Nacional dos Médicos Residentes

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Está circulando nas redes sociais o documento abaixo que diz respeito a suspensão de financiamento para novas bolsas para o ano de 2017. Explicamos que essa limitação diz respeito somente a abertura de novas vagas pagas pelo Ministério da Educação. Há ainda como fontes pagadoras o Ministério da Saúde, as Secretarias Municipais e Estaduais de Saúde, as entidades filantrópicas, como as Santas Casas e os serviços privados.

Todas as bolsas já existentes estão garantidas, independente de terem sido abertas em 2016. O corte diz respeito somente a vagas que seriam abertas em 2017. A progressão das bolsas de R1 para R2 também não sofrerão alteração.

Aproveitamos para reforçar que não existe vaga de residência médica sem pagamento de bolsa, direito este assegurado pelo artigo 4º da Lei 6932/81.

nota

XXX Congresso de Medicina Nuclear

**Reserve já em sua agenda de 12 a 14 de Novembro!**
**Neste ano o evento acontece em São Paulo no Hotel Caesar Business
Faria Lima.*

Tradicionalmente o Congresso da SBMN integra todos os públicos
envolvidos com a MEDICINA NUCLEAR desde o início da cadeia produtiva de
radiofármacos, aos médicos
nucleares e de outras especialidades, residentes, biomédicos,
tecnólogos, biólogos, físicos, químicos, farmacêuticos e especialistas
que tenham interesse na
aplicabilidade de radioisótopos na medicina.

Confiamos que haverá a presença de todas especialidades profissionais
que atuam em MEDICINA NUCLEAR dos diversos Estados brasileiros para
incrementar as discussões.
Além da oncologia, o foco também será a cardiologia e a neurologia.
www.sbmn.org.br/congresso2016/

Hotel Caesar Business Faria Lima – Rua Olimpíadas, 205 | Vila Olímpia |
São Paulo | Brasil

Convocação para Reunião da Direção Nacional

Eu, na condição de presidente da Associação Nacional de Médicos Residentes – ANMR, e de acordo com o capítulo III, do Estatuto da Associação Nacional de Médicos Residentes (em anexo), convoco para REUNIÃO DA DIREÇÃO NACIONAL, a ser realizada em 09 de agosto de 2016, na cidade de Brasília, às 19h, local a definir, TODOS OS MEMBROS DA DIRETORIA EXECUTIVA E UM REPRESENTANTE DE CADA ASSOCIAÇÃO ESTADUAL DE MÉDICO RESIDENTE, indicado pelo presidente de cada entidade.

Segue a pauta da reunião:
– Situação da residência médica no âmbito nacional;
– Atualização dos itens do termo de acordo assinado com MEC e MS em 31/12/15 como término da paralisação nacional dos médicos residentes;
– Situação das associações estaduais;
– Organização do 50º Congresso Nacional dos Médicos Residentes;
– O que mais ocorrer.

Naiara Costa Balderramas
Presidente da Associação Nacional de Médicos Residentes

Convocação reunião 09.07.2016

Paralisação dos médicos residentes devido ao não-pagamento do aumento da bolsa de residência

A Associação Nacional dos Médicos residentes reconhece como legítima a paralisação dos médicos residentes da SES-DF e REPUDIA a forma com que várias Secretarias de Estado, como a Secretaria de Saúde de São Paulo, tem tratado a residência médica, com COMPLETO DESCASO, não valorizando o médico residente, seja através de condições precárias de saúde, do não cumprimento do disponibilidade de moradia e/ou do não pagamento do reajuste de 11,9% sobre a bolsa-residência.
Contem com nosso apoio, nossa disponibilidade para intervir junto à Secretaria de Saúde, à CEREM/DF e à CNRM, e nossa assessoria jurídica, caso necessário.

abramer

OFICIO/CIRCULAR 01/2016 ABRAMER

Ilma. Senhora

Dra. Naiara Balderramas

Presidente da ANMR

 

ASSUNTO: Paralisação dos médicos residentes devido ao não-pagamento do aumento da bolsa de residência.

Informamos que, a partir das dezenove horas do dia 15 de junho de dois mil e dezesseis, conforme regulamentado em Assembleia Geral Extraordinária da ABRAMER, os médicos residentes determinaram paralisação de suas atividades educacionais, ficando 30% dos residentes para urgência e emergência.

A ABRAMER considera que o não-pagamento pelo Distrito Federal do aumento das bolsas de residência e do auxílio moradia torna ilegal a continuidade dos programas de residência médica.

Os médicos residentes deverão retornar aos programas de residência médica no próximo turno de plantão referente ao pagamento, ou seja, às 13:00h (treze horas) da tarde seguinte ao pagamento.

Sem mais, e certos de que lutamos todos pela qualificação da educação em saúde, agradecemos o apoio e compreensão.

 

Brasília, 02 de junho de 2016

assinatura

_________________________________

BRUNO BORGES BRAGA

Presidente da ABRAMER

“VITÓRIA” DA FENAM É A DERROTA DOS MÉDICOS E DA SAÚDE BRASILEIRA

Infelizmente, a atuação da FENAM (Federação Nacional dos Médicos) na plenária da CNRM (Comissão Nacional de Residência Médica), realizada ontem (quarta-feira, 27/04), mostra um total descompasso entre os interesses da entidade e o dos médicos brasileiros. E, mais uma vez, nenhuma preocupação com os impactos negativos que seus pleitos irão gerar para a saúde da população brasileira.
A decisão de continuar atrasando a instrução normativa da CNRM sobre a CME (Comissão Mista de Especialidades) é um desrespeito a toda luta da área da saúde, travada em conjunto com o congresso nacional, contra o Decreto 8497/15 da Presidência da República, que na prática banalizava o sistema de formação de especialistas no Brasil.
É de crucial importância esclarecer que durante as tratativas das entidades médicas signatárias da presente nota, unidas na desconstrução do decreto inicial (8497/15), a participação da FENAM inexistiu. A entidade, por total desinteresse no assunto, não participou de nenhuma das reuniões do movimento contra o Decreto, que contou com o envolvimento de parlamentares, AMB (Associação Médica Brasileira) e suas Federadas, Sociedades de Especialidade, CFM (Conselho Federal de Medicina Conselhos Regionais de Medicina e da ANMR (Associação Nacional de Médicos Residentes).
A bem da verdade participou de uma única reunião, quando o grupo de trabalho já havia negociado a substituição do primeiro decreto por um novo, com redação clara, específica e com ganhos importantes para a garantia e segurança do atual e consagrado modelo de formação de médicos especialistas, por meio da CME, que conta com a participação da CNRM, CFM e AMB. Naquele momento, a FENAM somente preocupou-se em tentar incluir no decreto a obrigatoriedade do imposto sindical.
O Decreto 8516/15 foi um avanço para a regulamentação do médico especialista e para a saúde do Brasil. Por que retroceder? Querem esvaziar estas conquistas e voltar ao famigerado Decreto inicial, derrubado pelas entidades médicas e sociedade civil, com apoio dos parlamentares? Lamentamos a posição da FENAM.
Também vale esclarecer que a AMB e CFM se retiraram da CNRM quando os propósitos daquela comissão foram antidemocraticamente subvertidos. Por força do Governo Federal, a CNRM deixou de ter um caráter técnico voltado para formação de especialistas de qualidade e passou apenas ser usada para “homologar” decisões programáticas do governo. Caso emblemático e que desencadeou a decisão foi o do Provab. À época, inclusive, a própria FENAM, que agora critica a ausência da AMB e CFM, também se retirou. Hoje, está de volta à comissão, embora nada tenha mudado na condução das principais decisões.
Convidamos a FENAM a atuar em prol de uma formação médica de qualidade, enaltecendo sempre a residência médica, o título de especialista, e as conquistas da medicina brasileira.

image1

 

Reunião da Comissão de Integração do Médico Jovem do CFM

A ANMR participou nesta terça (19) da reunião da Comissão de Integração do Médico Jovem do CFM,  para organização do Forum Nacional do Médico Jovem, pré-agendado 10 e 11 de agosto deste ano em
Brasília, que contará com temas como o exame de avaliação dos egressos das faculdades de medicina, os rumos da residência médica, saúde mental do médico jovem e ética na prática médica.

Residência Médica no Cenário Atual

A ANMR (Associação Nacional dos Médicos Residentes) e a AMB (Associação Médica Brasileira) reuniram-se na tarde desta segunda-feira (4/4) na sede da AMB, em São Paulo, para discutir os principais desafios da política de residência médica no cenário atual.

Entre outros temas, foram debatidos: Projetos de lei de interesse da ANMR que tramitam no Congresso Nacional;  Atraso no pagamento do reajuste da bolsa; Má qualidade dos programas credenciados, que levam à ociosidade no sistema.

Segundo Naiara Costa Balderramas, presidente da ANMR, “A reunião foi muito produtiva e é importante atualizarmos alguns temas como a AMB. Precisamos de força e apoio para poder enfrentar situações como a da semana passada, quando fomos pegos de surpresa com o pagamento da bolsa de forma diferente do que havia sido acordado. É necessário estar em constante vigília e com condições de reagir sempre que necessário. E o apoio da AMB neste sentido, tem sido fundamental”.

Para José Bonamigo, diretor da AMB, a relação entre as duas entidades tende a ser cada vez mais dinâmica: “Os interesses são praticamente os mesmos. E o papel que os residentes ocupam dentro do sistema de saúde brasileiro vem se tornando cada vez mais crítico para o funcionamento da engrenagem. Porém, como a residência é um período em que ainda atuam como alunos, os residentes são sempre mais vulneráveis a certos tipos de pressões. E pelo mesmo motivo, muitas vezes, seus pleitos não são atendidos da melhor forma. Por isso, o alinhamento entre as duas entidades é importante para a saúde como um todo”.

Também estiveram presentes pela AMB o Dr. Nívio Moreira, diretor de Relações Internacionais, Paula Jereissati, Gerente Executiva, e Carlos Michaelis, coordenador Jurídico.

NOTA DA ANMR SOBRE AVANÇOS DAS NEGOCIAÇÕES APÓS SUSPENSÃO DA PARALISAÇÃO NACIONAL DOS MÉDICOS RESIDENTES

No dia 18 de fevereiro de 2016, a ANMR realizou reunião com a Secretaria de Ensino Superior do Ministério da Educação (SESu/MEC). A pauta principal foram as atualizações a respeito dos termos do acordo firmado entre ANMR e SESu/MEC em 31 de dezembro de 2016 e que levou a suspensão da paralisação nacional dos médicos residentes.

 

Desta forma, a ANMR informa todos os médicos residentes do Brasil sobre os avanços nas negociações:

 

(i) O Grupo de Trabalho para proposição de nova composição da Comissão Nacional de Residência Médica – CNRM foi constituído durante a reunião plenária da CNRM em 18/02/2016. Conforme acordado, este grupo conta com paridade entre representantes do governo e dos médicos residentes. O prazo final para a apresentação da proposta é 18/08/2016;

 

(ii) Serão avaliados até 31/12/2016, um ano após celebração do acordo, todos os programas de residência médica que estejam com credenciamento vencido e que tenham médicos residentes em atividade, independente do programa solicitar ou não recredenciamento. Para tal avaliação, serão convidados representantes das Sociedades de Especialidades e das Associações de Médicos Residentes;

 

(iii) As instituições que ofertem vagas de Residência Médica deverão encaminhar à CNRM até 18/05/2016, três meses após o acordo, informações a respeito de sua saúde financeira e o impacto desta situação no desenvolvimento das atividades didáticas e assistenciais. A CNRM deverá apresenta análise dos dados até 18/08/2016;

 

(iv) O Grupo de Trabalho para proposição de diretrizes nacionais da preceptoria médica foi constituído durante a reunião plenária da CNRM em 18/02/2016. Conforme acordado, este grupo conta com paridade entre representantes do governo e dos médicos residentes. O prazo final para a apresentação da proposta é 18/08/2016;

 

(v) O Grupo de Trabalho para proposição de regulamentação acerca do oferecimento de moradia para os médicos residentes foi constituído durante a reunião plenária da CNRM em 18/02/2016. Conforme acordado, este grupo conta com paridade entre representantes do governo e dos médicos residentes. O prazo final para a apresentação da proposta é 18/08/2016;

 

(vi) Constituída nova agenda com o Ministério da Previdência Social e com o Ministério do Planejamento, sobre alteração no marco legal que estabelece período de carência de 12 meses para que médicas (os) residentes possam usufruir de auxilio maternidade e paternidade, bem como sobre o pagamento de Seguro de Acidente de Trabalho (SAT);

 

(vii) Casos de abusos por parte das Comissões Locais de Residência Médica – COREMEs em relação à propostas de reposição do tempo paralisados deverão ser encaminhados à ANMR e CNRM para investigação;

 

(viii) O reajuste de 11,91% na bolsa de Residência Médica deverá incidir sobre o pagamento a ser realizado em Abril/2016, portanto, relativo à carga horária realizada Março/2016. O valor bruto será de R$ 3.330,43 (três mil, trezentos e trinta reais e quarenta e três centavos) conforme descrito na Portaria Interministerial nº 3 de 16 de março de 2016, publicada no Diário Oficial da União de 17 de março de 2016. Casos em que o reajuste não seja ofertado deverão ser imediatamente comunicados a ANMR e CNRM para averiguação;

 

Frisamos que esses avanços foram possíveis única e exclusivamente pela ação corajosa de médicos residentes em todo o país que decidiram em 2015 lutar pela melhoria da Residência Médica e da saúde pública.

 

Seguiremos juntos pela Residência Médica de qualidade!

 

São Paulo, 17 de março de 2016.

 

Associação Nacional dos Médicos Residentes

NOTA SOBRE TERMO DE ACORDO FIRMADO ENTRE ANMR, MEC e MS EM 30/12/2015

A Associação Nacional dos Médicos Residentes (ANMR) firmou em 30/12/2015 termo de acordo com MEC e MS, representados nas pessoas de Jesualdo Pereira Farias (Presidente da Comissão Nacional de Residência Médica e Secretário de Educação Superior – MEC) e Felipe Proenço de Oliveira (Secretaria de Gestão do Trabalho e Educação na Saúde – MS), referente às pautas do Movimento Nacional pela Valorização da Residência Médica, quanto segue:

TERMO DE ACORDO

Dispõe sobre acordo entre MEC, MS e a ANMR.

Cláusula Primeira – Este termo de acordo dispõe sobre o processo de negociação entre a presidência da Comissão Nacional de Residência Médica e a Associação Nacional de Médicos Residentes, contando com a participação do Ministério da Educação, do Ministério da Saúde e da Associação Nacional dos Médicos Residentes (ANMR) para sua celebração.

Cláusula Segunda – Será instituída na CNRM um grupo de trabalho que estudará a possibilidade de mudanças no Decreto 7.562/2011 (incluindo a Câmara Recursal) e a reorganização do trabalho das Comissões Estaduais de Residência Médica (CEREMs). O grupo apresentará proposta para o Plenário da Comissão, no prazo máximo de 06 (seis) meses de atividades, e terá paridade entre representação de instâncias governamentais e de médicos residentes.

Cláusula Terceira – Serão avaliados no período de um ano todos os programas de residência médica que estejam com credenciamento vencido e que tenham médicos residentes em atividade, independente do programa solicitar ou não recredenciamento.

Cláusula Quarta – Será oportunizado que especialista em cada área, assim como as Associações Estaduais de Médicos Residentes, possam acompanhar as visitas de credenciamento, recredenciamento e supervisão de programas. No caso das representações dos médicos residentes, caberá às mesmas a viabilização da logística para participação nas visitas.

Cláusula Quinta – Serão oficiadas as instituições que ofertam programas de residência médica e solicitado informações à Comissão de Finanças (COFIN) do Conselho Nacional de Saúde sobre a situação orçamentária das instituições que ofertam residência médica no país. O prazo para o fornecimento das informações à CNRM será de 90 (noventa) dias, contados a partir da data do recebimento do ofício pelas instituições. Após esta consulta serão disponibilizadas para análise as informações, e no prazo de até 90 (noventa) dias estas serão apresentadas no plenário da CNRM.

Cláusula Sexta – Será instituído, no âmbito da CNRM, grupo de trabalho para que em até 06(seis) meses se elabore resolução específica que garanta Diretrizes Operacionais para Preceptoria, estabelecendo definição da função, garantias que precisam ser dadas pelas instituições para sua viabilização e orientações para política de valorização.

Cláusula Sétima – Será oportunizado à ANMR acompanhar agenda no âmbito da Mesa Nacional de Negociação do Sistema Único de Saúde-SUS, sobre o tema de preceptoria.

Cláusula Oitava – Será dado continuidade às discussões iniciadas com o Ministério da Previdência Social e com o Ministério do Planejamento, sobre alteração no marco legal que estabelece período de carência de 12 meses para que médicas (os) residentes possam usufruir de auxilio maternidade e paternidade, bem como sobre o pagamento de Seguro de Acidente de Trabalho (SAT).

Cláusula Nona – Será regulamentado, através de resolução da CNRM, que ao final do prazo de 02 (dois) anos, todas as instituições de saúde que propõem programas de residência possam ofertar moradia aos médicos residentes em cumprimento ao inciso III,§ 5º, Art. 4º da Lei 6.932.1981.

Cláusula Décima – Será proporcionado aumento no valor da bolsa para os médicos residentes de 11,9 %, a partir de março de 2016, cobrindo a inflação de 2014 (6,4%) e incluindo percentual de aumento oferecido aos servidores públicos federais para o ano de 2016 (5,5%).

Cláusula Décima Primeira – Será implementada a partir do mês de janeiro de 2016 uma mesa permanente de diálogo entre a SESu e a ANMR, com periodicidade mensal, para tratar de assuntos diversos relacionados à Residência Médica, inclusive eventuais reposições no valor de bolsas posteriores ao previsto neste acordo.

Cláusula Décima Segunda – Considerando a pequena duração em que ocorreu a paralisação dos médicos residentes, a presidência da CNRM autoriza que as Comissões de Residência Médica locais (COREMEs) conduzam cada uma o seu processo de negociação com os médicos residentes sobre reposição de conteúdos teóricos e/ou práticos, adotando critérios de razoabilidade para se oportunizar que os projetos de reposição possam ser implementados até o dia 29 de fevereiro de 2016, que se busque o respeito ao limite de até 60 horas semanais de atividades e que se preservem os períodos de recessos previstos, salvo situações que não estejam em observância ao marco legislativo nacional específico voltado à Residência Médica, no caso a Lei 6.932/1981.

 

A ANMR reforça que há plena legitimidade do movimento paredista, amparado nas prerrogativas constitucionais e legais vigentes, como já atestado nos Ofícios CFM nº 5816/2015 e nº 8056/2015 – PRESI e Ofício ANMR nº. 329/2015, e ainda se coloca conforme ao Art. 49 do Novo Código de Ética Médica “[É vedado ao médico] Assumir condutas contrárias a movimentos legítimos da categoria médica com a finalidade de obter vantagens”, ficando hipotecado nosso total esforço para que sejam denunciados aos respectivos Conselhos Regionais de Medicina os eventuais autores de casos de constrangimentos, penalizações ou coerções aos médicos residentes por terem participado do movimento nacional proposto por esta entidade e que a expedição de parecer do Juiz Federal Substituto da 3ª Vara/SJDF em exercício na 22ª Vara/SJDF sobre o Mandado de Segurança impetrado contra a Coordenação Geral de Residências em Saúde (CGRS), na pessoa da Sra. Sônia Regina Pereira, sobre o Ofício Circular nº 28/2015-CGRS/DDES/SESu/MEC publicado em 08/12/2015, no qual indica que “o ofício é uma comunicação, sem força vinculante (…) e ademais o movimento conta com apoio de lei vigente em território nacional”, o que em nosso entendimento (smj), garanta a comprovação da ineficiência do comunicado expedido pela CGRS.

Por fim, ressalta-se que interrupção temporária da paralisação nacional dos médicos residentes a partir de 22/12/2015, e o termo supracitado, está condicionada à garantia de que a reposição dos conteúdos não atrase o fim dos programas de residência médica, a saber, em 29/2/2016, e ao avanço certo e expresso das tratativas promovidas pelo Movimento Nacional pela Valorização da Residência Médica.

Brasília, 30 de dezembro de 2015.

Associação Nacional dos Médicos Residentes – Gestão 2015

CARTA DE APOIO À PARALISAÇÃO DOS MÉDICOS RESIDENTES DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

A Associação Nacional dos Médicos Residentes (ANMR), órgão de representação brasileiro dos médicos residentes, legalmente constituído, vem por meio desta carta manifestar incondicional apoio aos colegas e médicos residentes do Rio de Janeiro quanto à deliberação em assembleia estadual do dia 22 de dezembro de 2015 pela manutenção da paralisação nacional dos médicos residentes, no âmbito desta unidade federativa. A ANMR entende a gravidade da saúde pública no estado do Rio de Janeiro e louva a decisão de paralisação na luta contra a precarização da saúde.

O médico residente é um profissional em formação e por isso necessita de condições adequadas que promovam o melhor aproveitamento de seus estudos e permitam que o mesmo possa desenvolver suas atividades de forma mais próxima do ideal.

A bolsa de Residência Médica é fonte de renda essencial a esses médicos, seu constante atraso no repasse compromete a locomoção, moradia, alimentação, dentre outras necessidades básicas desses profissionais, levando a prejuízos imensuráveis na qualidade de seu aprendizado e, desta forma, ao atendimento à população.

O Movimento Nacional pela Valorização da Residência Médica promovido pela ANMR é amplo e, apesar de abrangência nacional, precisa de capilaridade para viabilizar que os avanços nacionais se somem às vitórias locais. Ainda, é necessário entender que a luta pela Saúde Pública e pela Residência Médica de qualidade não será vencida em um único ato, é um processo contínuo que envolve vários atores de múltiplos cenários em todas as regiões do país.

O avanço das negociações do Movimento Nacional pela Valorização de Residência Médica culminou com a interrupção temporária da paralisação nacional, mas em nenhum momento inviabiliza que as representações estaduais, conduzidas pela expressa e legítima vontade e voto dos médicos residentes locais, deliberem pela manutenção da paralisação para lutar por pautas regionais.

Reforçamos que o movimento do Rio de Janeiro é legítimo, tem respaldo ético-legal e está plenamente amparado pelo Movimento Nacional pela Valorização da Residência Médica. Dessa maneira, autores de eventuais constrangimentos aos residentes por participarem da mobilização são passiveis de denúncia ao Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro por infringir o código de ética que nos rege.

Todos nós somos independentes e, dentro do nosso livre arbítrio, decidimos lutar por uma residência médica de qualidade e um SUS digno para a população.

Juntos por uma Residência Médica de qualidade com atendimento digno a população.

São Paulo, 23 de dezembro de 2015.

Arthur Hirschfeld Danila
Presidente da Associação Nacional dos Médicos Residentes – Gestão 2015