Nota de Esclarecimento

NOTA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE MÉDICOS RESIDENTES SOBRE O 53º COBEM

Colegas Médicos Residentes,

Durante o 53O Congresso Brasileiro de Educação Médica – COBEM, iniciado em 07 de novembro de 2015 na cidade do Rio de Janeiro, um grupo auto intitulado “Médicos Residentes Independentes” lançou nota em desencorajando os médicos residentes a seguir a programação da ANMR sobre a possível paralisação nacional a partir de 18 de novembro de 2015.

Em primeiro lugar, ressaltamos que tal grupo não participa da ANMR tão pouco da coordenação nacional ou estadual do “Movimento Nacional de Valorização da Residência Médica”. Ainda, não houve por parte deste núcleo nenhuma iniciativa para debater com membros da ANMR sobre a atual situação do movimento.

Isto posto, é importante destacar que a referida nota incorreu em várias inverdades, a saber:

– Segundo o texto, há uma briga entre as entidades médicas e o governo, esclarecemos que realmente existe esta indisposição entre as entidades médicas e o governo, por descrença em suas políticas assistenciais eleitoreiras e revolta com o modo corrupto de governar o País. Importante citar que dentre as desastrosas políticas governamentais, várias delas vilipendiaram a residência médica, e para garantir a sua qualidade que foi lançado o movimento, suas pautas estão bem estabelecidas no link: http://anmr.org.br/noticias/anmr-lanca-movimento-nacional-de-valorizacao-da-residencia-medica-no-vi-forum-de-ensino-medico/

– Ainda, os residentes estariam sendo intransigentes e sem abertura para diálogo. Esclarecemos que a ANMR há 15 meses vem tentando negociar com o governo, porém todas as tentativas foram falhas ou não obtiveram resposta, então decidiu-se pala paralisação, que foi consequência da falta de atenção e resolubilidade do governo;

– Todas as propostas apresentadas oficialmente pelo Governo Federal foram amplamente divulgadas pela ANMR através de seus veículos de comunicação oficiais;

– A proposta de reajuste da Bolsa de Residência foi de 5,5% associada à correção inflacionaria para o ano de 2014 de 6,41%;

– O Governo Federal não ofereceu proposta de 30% de auxílio moradia. Até o presente momento, a proposta, conforme amplamente divulgado pela ANMR foi de 10% de auxílio apenas para os residentes que comprovassem dedicação exclusiva;

– Novamente conforme divulgado pela ANMR, nas paralisações anteriores, a reposição do tempo paralisado não atrasou em nenhum dia o fim da residência ou o calendário de provas.

Indispensável apontar que o “Movimento Nacional de Valorização da Residência Médica” é antes de mais nada uma ação em prol da qualidade da formação de médicos no país e em prol da saúde pública brasileira. Desta forma, tentar reduzi-lo às pautas de cunho trabalhista é no mínimo desonestidade intelectual.

Nossas pautas prioritárias são a maior representatividade das entidades médicas na Comissão Nacional de Residência Médica, a garantia de qualidade dos programas e principalmente o fim dos cortes de verbas nos hospitais.

Se para alguns o momento é de festejar, a ANMR entende que a maioria esmagadora dos médicos residentes vivencia diuturnamente motivos para chorar. No entanto, façamos das lágrimas suor para lutar contra esse tipo de atitude completamente despreocupada com os pacientes, os médicos e o SUS.

Todos nós somos independentes, e dentro do nosso livre arbítrio, decidimos lutar por uma residência médica de qualidade e um SUS digno para a população.

Associação Nacional dos Médicos Residentes – ANMR